segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Minha Realidade



Meus óculos sujos, minhas fotos pelo chão, lama nas paredes, meus sapatos no colchão, minhas roupas pelo teto, meus olhos ardendo, meu remédio a meio-metro, fugir estou querendo. Não vejo o sol se pôr, muito menos nascer, não aguento essa dor, às vezes quero morrer, pedi a solidão e me arrependi, a mim mesmo peço perdão e de mim quero fugir.

Quero um amor que seja verdadeiro, que tenha muita cor e me ame por inteiro, que me leve ao pôr-do-sol, que nas nuvens se jogue comigo, que no mar não precise de farol, que não se preocupe com o perigo...